Home / Nossas Fofurices / A arte do bordado e a leveza no coração.

A arte do bordado e a leveza no coração.

Sempre tive uma admiração especial pela arte dos bordados mas,  sinceramente,  nunca me achei capaz de produzi-los. Através de várias pesquisas, vários blogs e referências decidi me aventurar, minha veia de menina mineira falou mais alto, estudei, conheci outros trabalhos, me dediquei, me arrisquei e me apaixonei perdidamente.

Dá trabalho, aliás, muito trabalho, leva tempo, mas o melhor de tudo isso é que meu coração se enche de amor a cada bordado, a cada encomenda uma nova emoção, desde o desenho, a aprovação do cliente, até o resultado final.

Minha cabeça fica leve quando estou de agulha e linha nas mãos, são momentos em que,  definitivamente não penso e mais nada, nenhum problema polui meu pensamento, nenhuma tristeza me alcança, apenas uma alegria enorme em ver mais um trabalho sendo concluído, mais uma encomenda tomando forma.

Trabalhos muitos especiais surgiram, alguns deles foram as grávidas, mamães que querem eternizar o momento mais especial de suas vidas com bordados de suas lindas barrigas.

Através das fotografias das mamães fazemos a uma reprodução minimalista e lúdica, um registro delicado e cheio de amor.

Os bastidores decorativos também ganharam vida, a bailarina para o quarto da Maria Eduarda.

O nudes do ventre florido, uma bailarina delicada mas com muita personalidade, uma mulher cheia de força e vontade de viver.

E para receber amigos e familiares com muita alegria e charme, um bastidor de boas vindas.

São tantas possibilidade, tantos momentos e delicadezas a serem registradas que fico toda boba de alegria.

Tem uma coleção inteirinha vindo aí, quem quiser ficar por dentro de tudo isso pode assinar a newsletter, mandarei noticias de toda a produção.

E quem quiser se aventurar nas artes das linha e agulhas eu recomendo, é uma experiência maravilhosa.

Sobre Emilia Ribeiro

Veja também

Sobre paternidade, sobre amor.

Muito se fala sobre a maternidade, suas dificuldades (e eu ainda acho que falam pouco …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *